Saturday, November 22, 2014

GFH is taking a break

Thanks for visiting. I am really short of time at the moment and probably will be not be blogging any time soon. However, you still can check my old posts and leave comments if you wish. Thanks!

================
Obrigada por visitar o Greetings.
No momento não posto aqui. Você pode ler os posts antigos e pôr comentários sem objeções.
Eu continuo escrevendo sobre a Holanda no blog coletivo Brasil com Z.



Thursday, April 10, 2014

The First Flight



Sweet and funny. You go girls !

Wednesday, April 9, 2014

Splash !



What not to do during an interview...

Zaanse Schans II (Eyecandy)

Aaah, the Zaanse Schans... Been there several times and I've never get tired of it. Attention please: never, ever go there during bad weather. It is an open air sort of museum and when it rains you will have to jump the puds, cross mudder land and  hide in a clog / cheese / souvenir shop.

Luckily we had a good weather (cloudy but dry). Let's check some photos below, shall we ? 







Bus 391 takes you from a stop near the Central Station to the Zaanse Schans. 
A Dutch eyecandy you should not miss ! 

Monday, April 7, 2014

Jane in Amsterdam

Bilingual post

A Jane Murback do blog (está de pausa) "Mulheres Impossíveis" combinou comigo de visitarmos Amsterdam juntas. Aqui você vê algumas fotos. Dê uma olhada no Instagram dela que tem mais: http://instagram.com/janemurback (Essa postagem aqui no Greetings é em inglês porque a maioria do público que se interessa pela Holanda vem de fora do Brasil.)

*****

I have met Jane Murback via blogland years ago (yes, that kind of friendship happens more frequently than you can imagine and is incredible !). I have blogged about my visit to her in São Paulo. Now it was her time to visit the NL, yay !!

She stayed super central at the Ibis, next to the Centraal Station. Handy because she was coming by train from Paris with a friend  (and I from my village with a final stop at the Centraal Station). She is such an EASY person ! We just started chating as old friends the minute she entered in the hotel lobby - as if no time gap had ever existed.

The first evening we had dinner at Humphrey's.
First course, main course and dessert at a fixed price: 25 euros.

Jane had a chicory creamy soup with crostini blue cheese and pear.
She loved it.

My first: a Thai beef salad.
Main course: a veal stew for her friend Gris

My main: Shrimps and coquilles in soy sauce.
I found the portion small because I have a savoury tooth and I am not much a desserts person.
Jane had the risotto - which she found perfect (and  she being from São Paulo... well, this is a compliment for the cook at Humphrey's).

On Saturday we spend the whole day criss crossing Amsterdam on foot.
We visited, for example, the Bijenkorf (make up items on sale), the Begijnhof...



Below, a snapshot at the flowers market, on the water near the Munt Tower.
It is located between the Kalverstraat and the Koningsplein.


There is a canal cruise departing from the Holland Casino, 75 minutes at 15 euros per adult.
A must do ! But first we visited the Van Gogh museum. There is always a long queue, and it is always worthwhile. The museum shop is amazing, they bought some beautiful (paper) prints and I fell in love with some prints of Van Gogh on top quality canvas. (On a short note: lately, I've been ordering more and more some of my photos on canvas as well - I love the result, it's amazing ! And people are actually buying them, YAY !)

 Hubby dropped the kids at his mother's and then joined us.
He is here with Jane's friend, Gris.
 A trip to the Van Gogh museum is at 15eur per adult and you can combine it with the cruise tour for 27euros. Photos are forbidden inside the museum. :(
Above and below: some snapshops of the building around the canals. I took most of them from the boat and through the glass windows - therefore  some photos are  not of a good quality


We had dinner at a Spanish tapas restaurant called Granada at the Leidseplein. Unlimited tapas at 19,50 euros per person. The day couldn't be more perfect than that ! Before midnight we went back to the Centraal Station by tram and made an appointment to pick them up the following day (Sunday) at the hotel for a drive in the Dutch countryside.

More about Jane's adventures in the Netherlands and Paris? I guess she took hundreds of pics.
Check her Instagram: http://instagram.com/janemurback

********
Thanks for reading and I see you on the next post.

Friday, February 28, 2014

Hábitos Holandeses que Não "Pegaram" PARTE II


Voce já leu a parte I aqui . Agora vamos lá para mais hábitos que são difíceis ou ridículos !
COLOCAR “MOLHO” NA BATATA FRITA

Sim, as batatas fritas servidas na rua vem com opção de...  humm como diria ? Molhos cremosos (sausen, que geralmente em lugares turísticos vem escritos com a ortografia errada “Saucen”, numa mistura de holandês com inglês). Cerca de 0,50 centavinhos mais. A opção mais popular é “mayo” (maionese) mas o molho de amendoim (pindasaus) vem num bom segundo lugar. Outras opções incluem curry, ketchup, pickles, cebola crua, etc. Também tem a opção “guerra” (oorlog) que é um pouco de todos-os-molhos-ao-mesmo-tempo-agora. Uma zorra. E a cintura da gente engrossa com esses molhos ! Eu gosto de comer batata frita simples (naturel), tamanho pequeno, brigadão.

Dizer  LEKKER / LEUK e GEZELLIG intensivamente pra tudo.  
(gostoso / legal / sociável, respectivamente)

LEKKER Significa “gostoso”. É uma palavra que resume o seu elogio sobre a comida. Quando te perguntarem sobre o prato não diga: “Está faltando sal”, ou "Está bom". Diga: “Lekker. Mas vou querer mais sal.” Você nunca precisa fazer comentário sobre a refeição, como por exemplo: “Que bolo macio”. “Humm, a calda está quentinha”. Ou: “que casquinha crocante”. Guarde essas observações para você. Diga que foi “lekker” e já é o suficiente. Caso contrário, quando você não menciona o "lekker" os holandeses ficam extremamente confusos.  Ainda hoje eu faço observações (positivas, diga-se de passagem) sobre um prato na casa de amigos. Como por exemplo: “Ai, o azedinho do limão combinado com o doce do mel deu o toque especial nesse frango e me fez lembrar de um outro prato que eu preciso fazer para vocês que também é bom demais.“ Ou: "O creme de leite deixou a sopa bem aveludada e com uma cor linda". Francamente ? Holandês pira. Não faça como eu. Diga apenas e tediosamente:  "O Frango ? Estava  lekker. A sopa ? Lekker".

Lekker também é usado para um tempo bom (lekker weer), uma cama macia, um sofá espaçoso, um beijo gostoso, etc. O oposto de lekker é “vies” (sujo). Sim, se eles não gostam de uma comida além de dizerem que é NIET LEKKER dizem também que a acham “suja”. Eu acho isso horrível !  

Agora, sobre o LEUK ...  significa mais os menos o nosso “legal” do Brasil ou o “nice”da língua inglesa. Gostar de algo significa achar esse algo LEUK.  Não gostar de algo ou uma pessoa / situação ? Diga : NIET LEUK (not nice).  Holandês não é muito prolixo. Diferente dos povos latinos os holandeses não gostam de falar muito nem usar muitos adjetivos.  Quando cheguei aqui e me perguntavam o que tinha achado de algo eu falava: moderno / contemporâneo / frio / estimulante / bizarro / incrível / antigo / trabalhoso / original / repetitivo. Meu vocabulário com adjetivos era imenso. Eles ficavam confusos. E me perguntavam: “Mas voce GOSTOU ou NÃO GOSTOU ? “ (tinha achado “leuk”ou “niet leuk”) . Ahn ? Tudo na vida se resume a gostar ou não gostar. Preto no branco.
Para ilustrar o uso do leuk (que eles não acham nem um pouco repetitivo): Uma brasileira conhecida minha uma vez foi a um casamento em Curaçao. Antes da cerimônia a noiva se apresentou pronta a um círculo de amigas. Cada convidada presente se emocionou com o vestido e com a noiva. Cada convidada  começou a falar, uma por uma, “leuk”. Uma com voz grossa: LEUK. A outra com voz fininha: leuk. Outra toda relax: l-e-u-k. Outra toda alegre: Yeah,  LEUK !  Minha conhecida ficou louca por ouvir em mais de 20 tons alternados a palavra LEUK ! Colocou as duas mãoes no ouvidos e gritou: “Pára ! Pára com isso ! Você não sabem dizer uma outra coisa que não seja “leuk”não  !  Podem dizer por favor que o vestido é de uma renda-muito-delicada-que-vocês-nunca-viram-na-vida, ou vintage, ou de sereia ou de princesa que foi uma boa escolha ou onde ela comprou e que voce quer um igual   ? Podem ? Podem pensar em alguma outra coisa que não seja... leuk ?” Bom... Nem preciso dizer que a partir daí minha conhecida ficou completamente só durante o resto da festa, o namorado dela (holandês) deu um pito quando ela contou o episódio e a noiva nunca mais falou com ela.

GEZELLIG é bem difícil de traduzir. Pode significar aconhegante, social, agradável. No inglês pode se usar "Cozy". O gezellig é uma palavra que se usa muito para encontros sociais. No final de uma festa é de bom tom dizer para o anfitrião : “Foi gezellig.” Ou para ser mais criativo:  “Eu achei gezellig”. Só isso. Um por um dos convidados sai e diz: “A comida estava tããão LEKKER, eu achei as pessoas LEUK sua casa/festinha foi GEZELLIG”.  O gezellig serve também para pesooas. Por exemplo: se uma pessoa é arroz de festa, tem sempre um bom papo, carismática etc. a classificam de  “gezellig” (sociável).

USAR MUITO O DIMINUTIVO
Até eu português não uso muito.  Acho que mulheres principalmente (tanto no Brasil quanto na Holanda) usam muito o diminutivo e fica uma linguagem meio “mulherzinha”. Acabam não sendo levadas a sério.  Aqui na Holanda usam o diminutivo pra quase tudo, direto, independente de serem homens ou mulheres. Mesmo se uma pessoa tem um emprego fulltime chama ele carinhosamente de “baantje” (empreguinho). Se for comer um pouco diz que é um “hapje” (porçãozinha). Se tem uma namorada fala “vriendinnetje” (namoradinha).  Se for viajar para o Timbuktu diga: "Vou dar uma voltinha no Timbuktu". Se está comendo uma sobremesa diz “een potje” (um potinho) *. Parece terra de anão.  Eu falo que tenho um emprego, vou dar uma volta de bicicleta, preciso comprar sandálias, vou pedir uma refeição e depois comer um pote de chocolate. Diminutivo só uso com minhas crianças. E olhe lá.

* Uma vez eu ofereci a um convidado que estava apressado para ir embora a sobremesa: um pote de chocolate (een pot chocola). Ele me perguntou: “O que você disse ?”. Eu respondi “Eu disse:  um pote de chocolate, tipo ganache, eu mesma fiz,. Todo mundo acha lekker”. Eu perguntou: “Você quer me oferecer um pote de chocolate ? Um pote inteiro ? ” Eu disse: “Sim, como sobremesa”. Ele concluiu “Ahhhh, voce quis dizer “um potinho” de chocolate ! Eu não sabia o que era “um pote de chocolate”. Nesse caso aceito”.  Eu suspiro um pouquinho, faço uma anotação mental e mordo a língua (mas não reviro os olhos, sou moça fina. Ou quase fina).

Wednesday, February 12, 2014

Hábitos Holandeses que Não "Pegaram'". PARTE I

Cultura é uma coisa estranha. As pessoas julgam o mundo a partir do seu ponto de vista cultural e poucos estão dispostos a experimentar novos hábitos. Principalmente depois dos seus 30, fica mais difícil. Por outro lado, muitos dos chamados hábitos culturais brasileiros nunca grudaram em mim. Aqui na Holanda há algumas coisas que eu percebo como falta de fineza mas que para eles é normal. Por exemplo, se você se despede na casa de uma visita eles não necessariamente levam você até a porta. Se levam até a porta não ficam lá dando tchauzinho te vendo desaparecer no horizonte. Batem a porta nas suas costas. Também não colocam pra dentro se você só passou para dizer ou perguntar algo. Mesmo se tiver chovendo, nevando e você precisar falar algo com um vizinho ou ir apanhar sua criança na casa de uma amiguinho ele não te convida para entrar. A privacidade deles é sagrada. 
Então aqui vai alguns hábitos dos holandeses que eu não adotei 100% ou em alguns casos adotei só parcialmente: 

USAR A BICICLETA PRA TODO LADO 

Ok, usei a bicicleta até o último mês de gravidez do primeiro filho. Usei a bicicleta para fazer compras de supermercado e grávida do primeiro filho até o último mês.  Usei a bicicleta com o bebê na cadeirinha da frente, as compras de supermercado, e o carrinho de bebê acoplado atrás. Depois, grávida do segundo, o primeiro filho na cadeirinha atrás, as compras de supermercado na frente. Mas nunca eram viagens longas, se resumindo a uns dez minutos de casa. Agora, tem muita gente que não tem outra opção de transporte, ou o trabalho não cobre os gastos com passagens, ou é até mais conveniente fazer tudo de bike mesmo. Afinal, há os cycle paths pra todo lado nesse país e  os carros repeitam os ciclistas. Eu tenho medo grande de usar a bike quando há neve na rua (já caí com minha filha feio na rua quando a bicileta deslizou), ou percorrer grandes distâncias no inverno.   

ANDAR DE BICICLETA LADO A LADO.

Isso amarra o trânsito. Nas villages você vê direto. Lado a lado, as vezes três ciclistas caipiras pedalando devagar... Os carros vao fazendo fila lenta atrás. As vezes isso se prolonga por quilômetros.  Eu evito ao máximo pedalar ao lado de filho, conhecido, etc.

VIAJAR PARA LUGARES REMOTOS NA ÁSIA E ÁFRICA.

Os holandeses gostam muito da Espanha, da França, da Itália. É verdade. Mas muitos fazem viagens para lugares culturalmente isolados, extremamente remotos ou politicamente fechados. Ou em zonas de guerra e conflito. Na revista Reizen (“Viagem”, tem aí no Brasil também) em toda edição há relatos pessoais de viagens para a Coréia do Norte, Afeganistão, Sudão, Alasca. Europeus do norte são extremamente curiosos sobre o resto do mundo e sempre querem visitar algum fiofó do planeta. Holandês então... é mestre nisso. Vai sozinho, ou em grupo, ou levando filhos pequenos. Isso não me atrai.   

PASSAR O  O SÁBADO COMENDO PÃO. SÓ PÃO.

Isso se vê mais no interior. Por preguiça mesmo, muita gente não cozinha aos sábados. No café-da-manhã, almoço e janta comem só pão. Com peixe frito comprado em quiosques, com presunto, com queijo,  com o que for. Menos comida fresca, caseira.   

PANTUFAS

Uma praga. Usei nos primeiros anos de Holanda, quando ainda não tinha filhos e Havainas era igual a disco voador (pode ser que exista, alguns já tinha visto na Holanda – mas eu pessoalmente não). Depois enjoei. Parece coisa de gente doente, sem estilo. E  desliza na escada... Hoje em dia lá em casa só sandália para todos os membros. Para as mulheres só há um item mais feio que a pantufa.  O que nos leva para o próximo item:

ROUPÕES.

Tenho vizinhas que acordaram cedo, deram café da manhã para os filhos, lavaram o rosto, pegaram o carro pra deixar as crianças no colégio, voltaram pra casa e ... entraram no roupão atoalhado ! Vivo vendo elas o dia inteiro dentro de casa de roupão. Fazem servico doméstico de roupão, limpam a cozinha.  Atendem a porta da casa de roupão e pantufas.  Pra mim, pro carteiro, para o fruteiro. Dá uma péssima impressão. Parece uma mulher doente, que vive se arrastando no limite da força e da preguiça. Gosto não.  Também não gosto do

TOPLESS.

Conto nos dedos quando fui a uma praia na Holanda. São bonitas, com restaurantes (a maioria desmotável) muito “trendy “ na areia. Sempre que é verão eu estou fora do país. E não adianta que a filosofia do topless nunca me fascinou. Na Holanda mesmo idosas ou mulheres de corpo feio fazem topless na boa. Não todo mundo, não. Mas você vê por aqui e ali na areia. Isso me faz lembrar das

SAUNAS.

São mistas e todo mundo está nú. Homens, mulhere, adolescentes, crianças. Felizmente tenho um marido que detesta sauna também.  Gosta, se for num hotel. De sunga. De resto ele diz que ”aumenta a propagação de doenças”.   No meu caso é que sou pudica mesmo.

BANHEIRO SEM VASO SANITÁRIO

Minha primeira casa era assim: no andar de baixo, no hall de entrada um toalete (pia bem pequena e vaso sanitário). No andar de cima, um banheiro com pia grande e chuveiro dentro da banheira. Eu detestava. Como era muito velho e mal conservado, fizemos uma reforma.  Foi um alívio durante minha segunda gravidez poder usar um banheiro no meio da noite sem ter que descer as escadas.  Ainda continuam a construir casas novas sem vaso sanitário no banheiro. O povo não reclama, acha normal.

DESCASO GERAL COM MAQUIAGEM, MANICURES.

Muitas mulheres casadas deixam de usar maquiagem. Ou assim que tem filhos passam a ter o cabelo bem curtinho. Geralmente não pintam as unhas das mãos. Fazer minha manicure é um vício, um hobby, um prazer. E algumas tem o péssimo gosto de usar unhas falsas, com a chamada “French manucure”. Pedicures não são removidas com acetonas, elas deixam o esmalte ir esfacelando, vao cortando as unhas, fica aquele resto medonho de cor.   

FAZER E SERVIR COMIDA “DIFERENTE” PARA AS CRIANÇAS

As crianças holandesas são IN-SU-POR-TÁ-VEIS para comer. Só gostam de tudo molinho, macio, docinho. Se algo necessita de muita mastigação, ou tem um sabor meio amarguinho, ou precisa ser muito cortado... não comem ! E os pais desde que eles são muito pequenininhos apóiam isso. Retiram logo e não oferecem mais nada que a criança em um primeiro momento rejeite. Eu fico boba. Lá em casa tem o mantra de que “tudo tem que ser provado umas dez vezes até que você perceba o sabor”. E comida sem verdura fresca  ou legume não é comida. Meu primeiro filho é um perigo, desde pequenininho gosta de azeitonas, queijo azul, fígado, alho frito. E continua gostando de goulash, comida japonesa, mexilhões, arenque cru com cebola, shakes de frutas com verduras cruas. Minha filha dá trabalho, não come muito nem gosta de muita coisa. Mas tem que comer todo dia uma porção de verduras à noite e fruta pela manhã. Ponto final !  Quando como na casa dos outros vejo que os pais fazem comidas separadas paras as crianças e oferecem  mayo e ketchup para mascarar o gosto de tudo que as crianças comem. Numa barbecue é notório fazer salsichas e hamburgueres para as crianças. Aliás, várias porcarias são servidas SÓ para as crianças (pão branco, batatinha frita, salsichinha) que torcem a cara para saladas, pão preto, costela, etc..   

*****
Por enquanto fico por aqui. Vou pensar em um segundo post mais para a frente com mais hábito holandeses que não “grudaram”em mim... 
******