Wednesday, February 12, 2014

Hábitos Holandeses que Não "Pegaram'". PARTE I

Cultura é uma coisa estranha. As pessoas julgam o mundo a partir do seu ponto de vista cultural e poucos estão dispostos a experimentar novos hábitos. Principalmente depois dos seus 30, fica mais difícil. Por outro lado, muitos dos chamados hábitos culturais brasileiros nunca grudaram em mim. Aqui na Holanda há algumas coisas que eu percebo como falta de fineza mas que para eles é normal. Por exemplo, se você se despede na casa de uma visita eles não necessariamente levam você até a porta. Se levam até a porta não ficam lá dando tchauzinho te vendo desaparecer no horizonte. Batem a porta nas suas costas. Também não colocam pra dentro se você só passou para dizer ou perguntar algo. Mesmo se tiver chovendo, nevando e você precisar falar algo com um vizinho ou ir apanhar sua criança na casa de uma amiguinho ele não te convida para entrar. A privacidade deles é sagrada. 
Então aqui vai alguns hábitos dos holandeses que eu não adotei 100% ou em alguns casos adotei só parcialmente: 

USAR A BICICLETA PRA TODO LADO 

Ok, usei a bicicleta até o último mês de gravidez do primeiro filho. Usei a bicicleta para fazer compras de supermercado e grávida do primeiro filho até o último mês.  Usei a bicicleta com o bebê na cadeirinha da frente, as compras de supermercado, e o carrinho de bebê acoplado atrás. Depois, grávida do segundo, o primeiro filho na cadeirinha atrás, as compras de supermercado na frente. Mas nunca eram viagens longas, se resumindo a uns dez minutos de casa. Agora, tem muita gente que não tem outra opção de transporte, ou o trabalho não cobre os gastos com passagens, ou é até mais conveniente fazer tudo de bike mesmo. Afinal, há os cycle paths pra todo lado nesse país e  os carros repeitam os ciclistas. Eu tenho medo grande de usar a bike quando há neve na rua (já caí com minha filha feio na rua quando a bicileta deslizou), ou percorrer grandes distâncias no inverno.   

ANDAR DE BICICLETA LADO A LADO.

Isso amarra o trânsito. Nas villages você vê direto. Lado a lado, as vezes três ciclistas caipiras pedalando devagar... Os carros vao fazendo fila lenta atrás. As vezes isso se prolonga por quilômetros.  Eu evito ao máximo pedalar ao lado de filho, conhecido, etc.

VIAJAR PARA LUGARES REMOTOS NA ÁSIA E ÁFRICA.

Os holandeses gostam muito da Espanha, da França, da Itália. É verdade. Mas muitos fazem viagens para lugares culturalmente isolados, extremamente remotos ou politicamente fechados. Ou em zonas de guerra e conflito. Na revista Reizen (“Viagem”, tem aí no Brasil também) em toda edição há relatos pessoais de viagens para a Coréia do Norte, Afeganistão, Sudão, Alasca. Europeus do norte são extremamente curiosos sobre o resto do mundo e sempre querem visitar algum fiofó do planeta. Holandês então... é mestre nisso. Vai sozinho, ou em grupo, ou levando filhos pequenos. Isso não me atrai.   

PASSAR O  O SÁBADO COMENDO PÃO. SÓ PÃO.

Isso se vê mais no interior. Por preguiça mesmo, muita gente não cozinha aos sábados. No café-da-manhã, almoço e janta comem só pão. Com peixe frito comprado em quiosques, com presunto, com queijo,  com o que for. Menos comida fresca, caseira.   

PANTUFAS

Uma praga. Usei nos primeiros anos de Holanda, quando ainda não tinha filhos e Havainas era igual a disco voador (pode ser que exista, alguns já tinha visto na Holanda – mas eu pessoalmente não). Depois enjoei. Parece coisa de gente doente, sem estilo. E  desliza na escada... Hoje em dia lá em casa só sandália para todos os membros. Para as mulheres só há um item mais feio que a pantufa.  O que nos leva para o próximo item:

ROUPÕES.

Tenho vizinhas que acordaram cedo, deram café da manhã para os filhos, lavaram o rosto, pegaram o carro pra deixar as crianças no colégio, voltaram pra casa e ... entraram no roupão atoalhado ! Vivo vendo elas o dia inteiro dentro de casa de roupão. Fazem servico doméstico de roupão, limpam a cozinha.  Atendem a porta da casa de roupão e pantufas.  Pra mim, pro carteiro, para o fruteiro. Dá uma péssima impressão. Parece uma mulher doente, que vive se arrastando no limite da força e da preguiça. Gosto não.  Também não gosto do

TOPLESS.

Conto nos dedos quando fui a uma praia na Holanda. São bonitas, com restaurantes (a maioria desmotável) muito “trendy “ na areia. Sempre que é verão eu estou fora do país. E não adianta que a filosofia do topless nunca me fascinou. Na Holanda mesmo idosas ou mulheres de corpo feio fazem topless na boa. Não todo mundo, não. Mas você vê por aqui e ali na areia. Isso me faz lembrar das

SAUNAS.

São mistas e todo mundo está nú. Homens, mulhere, adolescentes, crianças. Felizmente tenho um marido que detesta sauna também.  Gosta, se for num hotel. De sunga. De resto ele diz que ”aumenta a propagação de doenças”.   No meu caso é que sou pudica mesmo.

BANHEIRO SEM VASO SANITÁRIO

Minha primeira casa era assim: no andar de baixo, no hall de entrada um toalete (pia bem pequena e vaso sanitário). No andar de cima, um banheiro com pia grande e chuveiro dentro da banheira. Eu detestava. Como era muito velho e mal conservado, fizemos uma reforma.  Foi um alívio durante minha segunda gravidez poder usar um banheiro no meio da noite sem ter que descer as escadas.  Ainda continuam a construir casas novas sem vaso sanitário no banheiro. O povo não reclama, acha normal.

DESCASO GERAL COM MAQUIAGEM, MANICURES.

Muitas mulheres casadas deixam de usar maquiagem. Ou assim que tem filhos passam a ter o cabelo bem curtinho. Geralmente não pintam as unhas das mãos. Fazer minha manicure é um vício, um hobby, um prazer. E algumas tem o péssimo gosto de usar unhas falsas, com a chamada “French manucure”. Pedicures não são removidas com acetonas, elas deixam o esmalte ir esfacelando, vao cortando as unhas, fica aquele resto medonho de cor.   

FAZER E SERVIR COMIDA “DIFERENTE” PARA AS CRIANÇAS

As crianças holandesas são IN-SU-POR-TÁ-VEIS para comer. Só gostam de tudo molinho, macio, docinho. Se algo necessita de muita mastigação, ou tem um sabor meio amarguinho, ou precisa ser muito cortado... não comem ! E os pais desde que eles são muito pequenininhos apóiam isso. Retiram logo e não oferecem mais nada que a criança em um primeiro momento rejeite. Eu fico boba. Lá em casa tem o mantra de que “tudo tem que ser provado umas dez vezes até que você perceba o sabor”. E comida sem verdura fresca  ou legume não é comida. Meu primeiro filho é um perigo, desde pequenininho gosta de azeitonas, queijo azul, fígado, alho frito. E continua gostando de goulash, comida japonesa, mexilhões, arenque cru com cebola, shakes de frutas com verduras cruas. Minha filha dá trabalho, não come muito nem gosta de muita coisa. Mas tem que comer todo dia uma porção de verduras à noite e fruta pela manhã. Ponto final !  Quando como na casa dos outros vejo que os pais fazem comidas separadas paras as crianças e oferecem  mayo e ketchup para mascarar o gosto de tudo que as crianças comem. Numa barbecue é notório fazer salsichas e hamburgueres para as crianças. Aliás, várias porcarias são servidas SÓ para as crianças (pão branco, batatinha frita, salsichinha) que torcem a cara para saladas, pão preto, costela, etc..   

*****
Por enquanto fico por aqui. Vou pensar em um segundo post mais para a frente com mais hábito holandeses que não “grudaram”em mim... 
******

3 comments:

Sandra said...

hahaha, adorei o post :-). Esse negócio do roupão é assustador, parece mesmo coisa de gente velha e doente em filme de terror! Cruzes.
Eu também sou pudica, sauna mista e topless: jamais!

Anita said...

Sandra, tem roupão masculino também. Não é atoalhado, é branco e parece mais um jalecão de laboratório. Também me parece coisa de doutor Frankestein, irk !

NBA said...

Fiofó foi o máximo kkkkk. Na Holanda vi várias mulheres com os seios caídos e bem tranquilas, eu mesma senti vergonha por elas! Seu post está super legal!